quinta-feira, 17 de maio de 2012

A volta de Cesare Guerrieri

Conheça a verdadeira história de Cesare Guerrieri, o cineasta esquecido, no conto "O filme".

"Guerrieri, o diretor, possuía um longo histórico de aberrações cometidas em película. Seu primeiro trabalho, Django Il cacciatori di vampiri, unia a brutalidade dos westerns peninsulares à depravação das obras sensacionalistas que exploravam os horrores do nazismo. Por outro lado, sua infame estreia em nada se comparava ao dantesco banquete da produção que acabara de exibir ao incauto crítico."


O conto "O filme" está em "Bazar Pulp - Histórias de Fantasia, Aventura e Horror". 


6 comentários:

Arthur disse...

interessante você transformar essa divertida pegadinha (e q muito depois decobri lendo os comentários,kkkkkkkkkkkk) em um conto, pois o personageme uma homenagem a picaretagem dos fiilmes B.

Cesar Alcázar (Almeida) disse...

Fala, Arthur! Sempre gostei muito dessa figura do Cesare Guerrieri. O conto é um pouco diferente daquela história do site, mas que graça teria um diretor misterioso se os relatos sobre ele batessem? :)
Abração!

Pat Kovacs disse...

Recebi o meu exemplar e como já terminei a leitura de um livro, será a vez dele ser devorado na próxima semana, mas... tenho a impressão que será só pra dar água na boca.
Gostaria de ler um romance do tipo "500 páginas" escrita por vc, Cesar, pq é uma coisa rara encontrar homem escrevendo com sensibilidade.
Abraço!

PS: Se possível, retire essa verificação de postagem de comentário, que é pra provar que não somos um robô... isso é um saco >.<

Cesar Alcázar (Almeida) disse...

Oi, Pat!

Espero que goste do Bazar.

Infelizmente esse romance de 500 páginas vai demorar um pouquinho... Ainda não tenho fôlego para tanto. Quem sabe com tempo e treino eu chego lá ;)

Desativei a verificação!

Grande abraço.

Pat Kovacs disse...

Nossa, que modesto!
Vc tem mais cacife que a maioria por aí: não duvide!
E 500 páginas... tudo bem, pode ser só 300.
Mas, na boa véio: tu é mto bom em pouco espaço, imagina o que faria tendo um baita espação pra se desenvolver?
BP lido e resenhado. Agora só tô confirmando algumas coisas pra saber se não escrevi bobagens demais, ahushasuhas. Quando publicar no blog, te passo o link.
Abç!

Cesar Alcázar (Almeida) disse...

Obrigado pelos elogios, Pat :)

É, 300 é um número mais razoável. Vamos ver o que o futuro traz.

Fico no aguardo da resenha!

Abração,

Cesar