segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Sagas Vol. 2 vem aí...

Detalhe da capa de Sagas Vol. 2 - Estranho Oeste. Arte de Fred Macedo. Este será o segundo lançamento da Argonautas Editora.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Ernie e Russ - por Cesar Alcázar

O salão do Le Sphinx fervilhava com soldados, aventureiros e jornalistas. Todos comemoravam a recente libertação de Paris pela Résistance e pelos americanos da 4ª Divisão de Infantaria. Havia celebração em cada canto, e as prostitutas faturavam como nunca. A cidade era uma festa.

Cercado por oficiais e repórteres, um correspondente de guerra narrava de forma vibrante suas arriscadas experiências nos campos de batalha. O notável jornalista era também escritor de sucesso, um extraordinário contador de histórias. No entanto, já se cansava de entreter os militares e suas mentes simplórias.

Em meio às perguntas embriagadas, ele avistou um rapaz que bebia a sós na mesa escura do outro lado da sala. O semblante do jovem soldado possuía um ar de sagacidade e deboche que agradava o escritor. Pensando que aquele sujeito seria uma companhia mais interessante do que a que dispunha no momento, pediu licença aos demais e foi até ele.

– Posso sentar aqui? – perguntou ao rapaz enquanto puxava a cadeira e jogava um beijo para Camille, a prostituta que o recebera horas antes.

O jovem, por sua vez, reconheceu de imediato quem lhe dirigia a palavra e ficou sem saber o que dizer.

– Qual é o seu nome, soldado?

– Russell Albion Meyer, da 166th Signal Photo Company, senhor. Mas todo mundo me chama de Russ.

– Senhor? Por acaso tenho cara de militar? Ernie está bom.

O jovem cameraman sorriu com a inesperada informalidade do ilustre correspondente, que continuou:

– Você parece bem jovem, quantos anos tem?

– Completei vinte e dois em Março.

– Esteve no desembarque em Omaha Beach, correto?

– Sim, as imagens que fiz irão para o cine-jornal.

– Foi uma luta terrível. É preciso muita coragem para participar de uma coisa daquelas. Ainda mais desarmado.

– A câmera é minha arma – Russ contestou em tom espirituoso – e acho que não tive muita escolha.

– Como a pena do escritor, não é mesmo? Sempre mais forte do que a espada. E, também na escrita, não temos escolha. É escrever ou enlouquecer.

Os dois riram e sorveram longos goles de suas cervejas.

– Está se divertido, Russ?

– Bastante, senhor.

Ernie olhou para Russ com a sobrancelha direita erguida, em sinal de reprovação. O jovem percebeu no mesmo instante e corrigiu:

– Ah! Desculpe. Ernie...

– E então, qual delas você vai escolher? – Ernie gesticulou na direção das belas mulheres que alegravam os presentes.

– Infelizmente, não tenho dinheiro para isso.

– Depois de tudo que você passou? Além do mais, deve fazer um tempão que você não tem uma mulher por causa dessa guerra.

– Na verdade... Bem, como posso dizer... Eu nunca estive com uma mulher antes.

– Você está brincando?

– Não. É que... Talvez não seja certo, e além do mais, nunca tive a oportunidade.

O escritor ficou estupefato. Ele bebeu o que restava de sua cerveja em um gole só e falou:

– Quando se vai para a guerra ainda garoto, você tem uma grande ilusão de imortalidade. Outras pessoas são mortas, você não... Então, quando você está gravemente ferido pela primeira vez, você perde essa ilusão e sabe que pode acontecer com você. Pelo que posso observar, você ainda tem essa ilusão. A vida pode ser muito curta, rapaz. Por isso quero que você escolha a mulher que quiser aqui. Eu pago. Nem pense em recusar! Não há nada de errado nisso. Não sei como foi a sua criação, mas aposto que protegeram você demais. Esqueça tudo o que ensinaram sobre conceitos morais, pecado e essas outras bobagens. Não há nada de errado em viver. E aproveitar a vida é a única coisa decente que podemos fazer.

Russ ficou um pouco surpreso. Chegou a pensar que o jornalista estivesse brincando. Ernie logo exclamou:

– Vamos lá, escolha!

O rapaz olhou à sua volta e seus olhos se fixaram em uma belíssima morena italiana, de pernas fortes e seios fartos.

– Tome esses dólares, serão suficientes. Agora vá até lá e convide-a para subir!

Com um sorriso que era um misto de alegria e apreensão, Russ agradeceu e caminhou até a moça. Em seguida, os dois desapareceram do salão.

– Preparado para a guerra, despreparado para a vida. Exatamente como eu na Itália. – Ernie pensou em voz alta.

O Tenente Baldry, que ouvira a conversa o tempo inteiro, se aproximou do escritor e disse:

– Aprecio o que acabou de fazer pelo rapaz, Mr. Hemingway.

– Gostei dele. É um homem inteligente. Acho que terá um belo futuro agora.



Ernest Hemingway encontra Russ Meyer, por Cesar Alcázar (baseado em uma história real)

domingo, 16 de janeiro de 2011

Para onde foram os aventureiros?


São muitos os autores cujas vidas pessoais conseguem ser tão interessantes quanto seus trabalhos de ficção. Aqui, em frente ao computador, tudo isso parece tão distante. Quase irreal.
Como não vibrar com Hemingway na África. Jack London no Alaska. John Reed no México e na Rússia.
Quem não gostaria de ter viajado como Stevenson, Melville, Conrad ou Saint-Exupery? Ou até mesmo Jack Kerouac e Hunter S. Thompson?
Vejo as estantes das livrarias com os autores atuais, e as orelhas de seus livros onde a informação mais importante sobre eles é a faculdade que cursaram, e me pergunto: para onde foram os aventureiros?

sábado, 15 de janeiro de 2011

Imperdível: Lançamento "Duplo Fantasia Heroica" em Porto Alegre

Chegou um momento muito esperado para os fãs do estilo Espada e Magia: o livro "Duplo Fantasia Heroica", que contém a novela "O encontro fortuito de Gerard Van Oost e Oludara", escrita pelo amigo Christopher Kastensmidt, terá lançamento e sessão de autógrafos em Porto Alegre!

Eu estarei lá prestigiando esse belo evento!

LANÇAMENTO DE O ENCONTRO FORTUITO DE GERARD VAN OOST E OLUDARA, com sessão de autógrafos de Christopher Kastensmidt.
Data e horário: 18 de janeiro de 2011 (terça-​feira), a partir das 19h.
Local: Livraria Cultura – Bourbon Shopping Country (Av. Túlio de Rose, nº 80 — Porto Alegre — RS).

Preço: R$ 15,90 (exemplar) /​Formato: 9 x 15 cm /​128 páginas

Estou de volta!